aarmaa(2).jpg

Na manhã de hoje, 13/08 (terça feira), por volta das 09:00Hs, um cidadão de iniciais C.C.L. de 32 anos, compareceu na delegacia de policia para registrar um boletim de ocorrência de roubo a mão armada que ele e sua família sofreram em sua residência, localizada no Bairro Vila Nova.

O comunicante relatou aos investigadores de plantão na 1DP que na noite anterior (segunda feira), por volta das 23:00Hs, estava em sua residência, juntamente com sua esposa e seus dois filhos, sendo que sua esposa e um dos filhos estavam no quarto dormindo, já ele (comunicante) e outro filho estava na sala, porém, a porta da cozinha estava apenas encostada e em dado momento foi surpreendido por 05 homens entrando na casa dizendo "não grita, cala a boca, cadê o celular e a chave do carro".

Segundo informações da vítima, dois suspeitos estavam encapuzados e armados, porém, um estava com a arma na cintura e outro apontava a arma em sua direção, nisso, ele gritou sua esposa, que rapidamente veio até a sala e foi rendida também, mandando a mesma sentar no sofá, mas como sua esposa não parava de chorar foi ameaçada com um facão que estava com um dos suspeitos, (que não usava capuz), em seguida começaram a revirar a casa e roubaram celular, tablet, chave do veículo, perfumes, caixa de ferramentas, botijão de gás e câmera digital, além de abrirem a geladeira e o armário, jogando vários objetos na cozinha, fizeram uma bagunça danada.

O comunicante disse que os ladrões usando um fio de extensão amarraram o seu braço para trás, nisso, sua esposa começou a gritar e novamente foi ameaçada com o facão e que as crianças estavam sentadas no sofá, juntamente com eles (pais), mas alguns minutos depois os ladrões saíram, então, a sua esposa olhou pela porta e percebeu que haviam roubado também o veículo da família, sendo um Honda Civic, de cor prata, placa LPI 2819, de Macapá.

Após o fato, imediatamente ligaram para policia militar que compareceu no local e após ouvirem o relato das vítimas, saíram em diligências na tentativa de localizar os suspeitos, porém, sem êxito.

A divisão de roubos e furtos da 1DP investiga o caso.