15bc31438eb5d8c3a1ce7d882491ff11.jpg

Com a pandemia do novo coronavírus, diversas notícias sobre casos da doença em hospitais particulares têm deixado a população confusa sobre os reais dados da COVID-19 no estado. O secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, esclareceu que o governo está cobrando a rede particular sobre a notificação e que a instituição que não informar os casos suspeitos comete crime.

O secretário informou que se reuniu com o promotor promotor de Justiça Alexandre Guedes, titular da 7ª Promotoria de Justiça Especializada na Defesa da Saúde Coletiva de Cuiabá, e este notificou os hospitais particulares da Capital.

"O Estado já interviu. A notificação é compulsória. Não fazer as notificações é crime. Tive uma reunião com o promotor da saúde, Alexandre Guedes e ele notificou todos hospitais privados da obrigação de fazer a notificação. A subnotificação não é boa para a gente. Precisamos que seja feita, não só pelos privados, mas por todas as unidades públicas de saúde para que possamos rever nosso plano de atuação", disse Gilberto Figueiredo.

O último boletim da Secretaria de Saúde mostrou que já foram confirmados 7 casos do novo coronavírus no estado e outras 269 suspeitas são investigadas. Por causa da pandemia, o governador Mauro Mendes (DEM) decretou estado de calamidade pública em Mato Grosso, como forma de auxiliar os municípios a lidar com a crise, tendo em vista que poderão ter menos burocracia para tomar medidas urgentes.

GazetaDigital